O que deve saber sobre a depilação a Laser Díodo

Existem vários tipos de depilação a laser, a depilação a laser Alexandrite, a depilação a laser Díodo ou a depilação a laser SHR.

Há quem considere, erradamente, a depilação pelo método de luz pulsada como depilação a laser, mas esse tipo de depilação tem diferentes características e resultados, tem um comprimento de onda luminosa inferior ao do laser e apesar do princípio ser o mesmo os resultados são diferentes.

No que diz respeito a depilação a laser, os mais comuns são o Laser Díodo e o Laser Alexandrite.

As diferenças entre eles estão relacionadas com a adequação ao tipo de pele da/o cliente.

Hoje vamos focar-nos sobre a depilação a Laser Díodo.

O que é depilação a Laser Díodo?

O Laser Díodo é uma luz que emite uma energia que o pelo absorve e transmite para as células responsáveis pelo seu crescimento inibindo que a sua reprodução.

Os equipamentos para depilação a laser díodo possuem um sistema de refrigeração incorporado que protege a epiderme durante o tratamento não havendo risco de queimaduras na pele.

Ao inibir a reprodução das células do crescimento do pelo esta solução elimina definitivamente o pelo.
No entanto, como só é possível tratar os pelos visíveis há necessidade de várias sessões por cada zona, até se conseguir a
eliminação definitiva.

Cuidados antes e após as sessões.

 

cuidados antes e depois da depilação a laser diodo

Durante o mês anterior à sessão de Laser Díodo não deve depilar a zona com nenhum método que arranque o pelo pela raiz, poderá utilizar lâminas ou cremes depilatórios para o efeito, pois o bocadinho de pelo que fica dentro da pele é que conduz o laser até ao folículo piloso para o destruir.

Para uma maior eficácia do tratamento, deve evitar a exposição solar, o bronzeamento artificial ou descoloração dos pelos, 2 a 3 semanas antes da sessão.
Esta é uma das razões para que se recomende que a depilação a laser seja iniciada no Outono e Inverno.

Caso a depilação seja feita com pomada anestésica a mesma deverá ser aplicada pelo menos 1 hora antes.

Antes do procedimento a zona a depilar deverá ser depilada com lâmina de modo a que os folículos fiquem visíveis e que seja mais fácil o pêlo que resta no interior do mesmo absorva a radiação e a transmita ao bolbo capilar para que o tratamento produza o seu efeito.
A zona será também marcada e será aplicado um gel transparente que ajudará à condução do laser.

É normal que a pele fique inflamada após o procedimento, algumas pessoas notam que a pele descama mas é uma situação normal, é um dos sinais de que o tratamento foi realmente eficaz.

O Profissional de Estética poderá recomendar a aplicação de uma pomada cicatrizante, a utilizar após a lavagem da pele para ajudar a recuperar da inflamação.
Pode iniciar a exposição solar 48 horas após o tratamento ou logo que a pele recupere da inflamação.

Poderá acontecer que uma semana depois do procedimento apareçam alguns pêlos.
Não é preocupante, não pense que os pelos voltaram a crescer!

A explicação é simples: após a depilação com a lâmina que precede a depilação a Laser Díodo fica sempre uma parte do pêlo dentro do folículo que acaba por cair naturalmente.

Não é mesmo caso para alarme pois é uma situação absolutamente normal, esses restos de pelo não estão agarrados à raiz e caem habitualmente durante o banho ou se forem puxados ligeiramente.

Quantas sessões são necessárias

Como já foi referido, dado que só se pode tratar o pelo visível, são necessárias várias sessões de depilação a Laser Díodo para remover definitivamente todos os pêlos de uma zona.

O número de sessões necessárias varia de pessoa para pessoa e de zona a tratar para zona a tratar, pois depende de vários fatores, como a zona do corpo; tipo de pele; cor, quantidade e densidade do pêlo.

Regra geral, não são necessárias mais de cinco sessões para remover a quase totalidade do pêlo indesejado, embora, possa ter resultados logo após a primeira sessão.

No entanto, em algumas pessoas, ou em algumas zonas do corpo, podem ser necessárias 12 sessões.

Alguns especialistas recomendam pelo menos uma sessão a cada dois ou três meses (se puder fazer mensalmente seria o ideal), dado ser este o período de tempo em que alguns dos pelos inativos na sessão anterior tenham entretanto crescido e possam também ser eliminados.

Após a conclusão do tratamento, a manutenção da depilação a laser deve ser feita mais ou menos de 4 em 4 ou de 6 em 6 meses.

Contra indicações e efeitos secundários da depilação a laser díodo

 

efeitos secundario laser diodo

Para evitar o risco de despigmentação a depilação a laser díodo é mais recomendadas a pessoas pele clara e pelo escuro.
Os pêlos loiros não podem ser depilados por este método, já que não absorvem a radiação.

Quem tem pele mais escura, deverá avaliar o risco de despigmentação junto do Profissional de Estética antes da realização do procedimento.

Não existem evidências que a radiação usada durante a depilação por Laser Díodo seja prejudicial à saúde, nem durante a gravidez ou amamentação já que se trata de uma radiação visível ou infravermelha que apenas penetra superficialmente na pele.

Não há qualquer evidência ou suspeita que a radiação usada seja prejudicial para a saúde.

No entanto como a gravidez e amamentação são fases em que há mais tendência ao aparecimento de manchas cutâneas poderá ser aconselhável não realizar este procedimento durante esse período.

Resultados expectáveis

Como em todos os procedimentos estéticos, os resultados da depilação a Laser Díodo nunca podem ser garantidos a 100%.
Como foi referido o sucesso deste procedimento depende de vários fatores.

Tal como se verifica em qualquer outro procedimento estético o sucesso e resultado varia de pessoa para pessoa pois cada organismo tem características diferentes e reações diferentes perante o mesmo procedimento.

Mas, ainda que possa não eliminar totalmente os pêlos, a depilação por Laser Díodo vale a pena pois reduzindo a sua quantidade facilita o uso posterior de outros tipos de depilação.

Etiquetas ,
× Podemos ser úteis?